TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar

CARREIRAS NO RAMO DE PLÁSTICOS

 

Eu já pensava em escrever esse artigo mesmo antes de criar esse site, a anos atrás, mas acabei esquecendo e focando mais em conteúdo técnico. De certa forma foi até bom, pois hoje vendo a indústria e a situação dos "plastiqueiros" pelo lado de fora consigo traçar um perfil melhor dos empregos oferecidos nesse ramo.

As possibilidades para quem faz técnico ou tecnólogo em plásticos são vastas, você pode trabalhar realizando testes em laboratório, operando máquinas, projetando ou usinando moldes, prestando assistência técnica em resinas, máquinas, pigmentos ou vendendo esses mesmos produtos.

Fiz um levantamento dessas profissões e da média salarial usando o site da Catho como base, além de descrever a rotina de cada profissão citada, espero que isso ajude quem está procurando estágio na área e está em dúvida sobre o que buscar. Eu sei que essa questão do salário compensar ou não depende das necessidades de cada um mas... De forma geral podemos dizer que o profissional do plástico não é valorizado no Brasil, infelizmente.

Sobre a qualificação necessária não especifiquei para cada cargo, pois varia MUITO de empresa para empresa, e é comum substituírem a exigência de uma formação acadêmica pela experiência profissional em boa parte desses cargos. Generalizando, podemos dizer que para um cargo de gerência ou supervisão costuma ser exigido um curso superior em química, engenharia ou tecnólogo em plásticos; no caso de empresas grandes, como petroquímicas, é comum pedirem pós-graduação e uma ou outra especialização. Para os cargos de liderança (de encarregado), um curso técnico é o suficiente na maioria das vezes, enquanto que para os operacionais pode ser exigido um curso técnico ou apenas o ensino médio completo.

 

CARREIRAS NO SETOR COMERCIAL

O profissional que optar pelo setor comercial pode ter uma subida rápida na carreira, passando a gerente comercial com poucos anos de trabalho. Nesse caminho, podem existir ainda alguns cargos intermediários, como por exemplo Encarregado de Vendas, assim como o de Diretor Comercial no topo da hierarquia em empresas maiores. A rede de contatos que o pessoal do setor comercial faz acaba trazendo uma certa vantagem na hora de buscar outro emprego, sendo comum vendedores saírem da empresa para trabalhar em um cliente ou fornecedor.

Os vendedores podem entrar na empresa através de estágio ou através de experiência com vendas de outros produtos, estes últimos são os chamados vendedores sem curso e podem ter um salário menor devido a falta de base para prestar apoio técnico ao cliente.

Não está sendo contabilizado nos salários apresentados abaixo as comissões que os vendedores recebem, que podem variar de 0,5 a 2% em cima de cada venda.

Vendedor de produtos plásticos (sem curso)

Realiza a venda de laminados, embalagens e outros produtos plásticos, atendimento ao cliente via telefone, email e pessoalmente. Prospecta novos clientes, elabora orçamentos e realiza visitas.

Média salarial: R$ 2000

Vendedor técnico de resinas

Gerencia carteira de clientes, participa do desenvolvimento e homologação de novos materiais, além de prestar suporte técnico aos clientes.

Média salarial: R$ 3000

Gerente comercial

Gerencia a equipe interna e externa de vendas, além dos representantes. Elabora estratégias de venda, faz análise da concorrência e sazonalidade. Elabora palestras e seminários técnicos. visita clientes, participa de feiras e eventos.

Média salarial: R$ 6500

 

CARREIRAS NO SETOR PRODUTIVO

Sem dúvidas, o setor produtivo é o que mais oferece oportunidades para quem não tem qualquer qualificação técnica. Muitos profissionais do topo da cadeia começaram como ajudantes gerais, aprenderam uma profissão específica, subiram na carreira e muitos abriram sua própria empresa. Um curso técnico ou tecnólogo permite encaixar o profissional diretamente em um nível de liderança, ainda que muitos aceitem cargos de nível operacional, como por exemplo, Operador de Injetora.

Os cargos de nível operacional agregam muito valor ao currículo do profissional, o conhecimento adquirido como extrusor, ferramenteiro e principalmente operador de injetora pode ser aproveitado nos níveis mais altos ou até em outros setores de uma empresa de plásticos, seja na assistência técnica ao cliente, no desenvolvimento de um novo produto ou na liderança de um processo. O setor dentro de uma indústria plástica que oferece os maiores salários é a ferramentaria, onde é fácil encontrar remunerações que passam dos R$ 3.000,00. Já para os operadores de máquinas injetoras, extrusoras, de sopro e termoformagem a remuneração fica entre R$ 1.000,00 e 2.000,00 dependendo do tamanho da empresa e da qualificação que ela exige.

Por exigir conhecimentos muito específicos e no mínimo um curso técnico, o cargo de Projetista de Moldes Plásticos oferece salários superiores a R$ 3.000,00 em empresas de transformação de termoplásticos, assim como em empresas que se dedicam exclusivamente à projetos. Já o salário de um líder/encarregado de produção varia muito de empresa para empresa, ficando em R$ 2.447,00 a média calculada em cima do que as vagas para esse cargo pagam atualmente.

Em empresas médias/grandes existe ainda o cargo de Supervisor de Produção, com remuneração média de R$ 4.875,00 mas com grande variação. A renda de um Gerente de Produção ultrapassa os R$ 5.000,00 e é um cargo presente em indústrias de todos os tamanhos.

Ferramenteiro de moldes plásticos

Atua no setor de ferramentaria desenvolvendo as atividades do setor como interpretação de desenhos técnicos, usinagem em geral, ajustes e manutenção, confecção de moldes plásticos e dispositivos.

Média salarial: R$ 2650

Operador de injetora

Prepara e opera a injetora de plásticos, faz inspeção de qualidade das peças produzidas, coordena os trabalhos do auxiliar de produção e auxilia na troca de moldes. Preenche relatórios de produção e fichas de processo, efetua a limpeza da máquina.

Média salarial: R$ 1391

Ajudante de extrusor

Auxilia no abastecimento do funil e caixa das extrusora, opera o aglutinador, embala e paletiza o produto, limpa o setor ao final do turno.

Média salarial: R$ 1136

Extrusor

Prepara e opera máquina extrusora de plásticos para produção de granulado, chapas, tubos, perfis ou filmes, regula as temperaturas do canhão, faz a troca de matriz e tela, zela pelo correto funcionamento da máquina. Realiza a preparação da resina e o abastecimento da máquina.

Média salarial: R$ 1566

Líder/encarregado de produção

Lidera equipe de operadores de máquinas de transformação de plásticos, regula máquina, fica responsável pela troca de moldes e matrizes, verifica índices de produtividade e motiva a equipe. Atua com documentos do sistema da qualidade (instruções de trabalho) e na busca por atingir metas, delega funções aos colaboradores.

Média salarial: R$ 2447

Projetista de moldes plásticos

Recebe o desenho do produto, determina o material da peça, aplica a contração indicada para o material, define as dimensões do molde e seu material, projeta o molde usando softwares como o Solidworks. Modela componentes fixos e móveis. Detalha componentes e acompanha usinagem e try-out.

Média salarial: R$ >3000

Supervisor de produção

Supervisiona os turnos de produção estando diretamente acima dos líderes na hierarquia, monitora os indicadores produtivos e a execução das tarefas realizadas pelos colaboradores. Acompanha diariamente índices de rejeição da produção, toma ações para a garantia do processo produtivo acionando outros departamentos, estabelece critérios para o cumprimento dos procedimentos internos, distribui tarefas aos líderes de turno, orienta os colaboradores quanto a organização, distribui medidas disciplinares quando necessário. Implementa ferramentas e métodos que objetivam altos índices de produtividade e qualidade baseando-se na ISO 9001 e ISO TS 16949.

Média salarial: R$ 4875

Gerente de produção

Gerencia a produção da empresa, coordena as equipes de produção e PCP, planeja e controla a produção, faz medição de indicadores, planeja e supre a manutenção. Cria procedimentos e garante a rastreabilidade e repetibilidade do processo. Controla os apontamentos de produção e parada de máquina, estruturando projetos de melhoria da eficiência dos processos e programas de incentivo na produção. Elabora e implanta procedimentos para controle de estoque de matéria-prima, insumos, produtos intermediários e produtos acabados. Implementa gestão da produção por lotes. Atua com estudos de viabilidade de novos investimentos na produção.

Média salarial: R$ > 5000

Inspetor de qualidade

Verifica peças, faz controle de medidas, peso, acabamento e outros critérios estabelecidos pelo cliente. Controla não-conformidades de processo de acordo com normas e procedimentos técnicos, acompanha e atualiza normas técnicas e procedimentos junto ao usuário, presta suporte ao usuário e esclarece dúvidas. Alinha conhecimentos da área ambiental e de segurança do trabalho, acompanha os processos e as variabilidades de produção.

Média salarial: R$ 1205

Técnico em desenvolvimento

Acompanha os novos projetos de produtos, manutenção de moldes e controle de projetos, interpreta e elabora desenhos técnicos.

Média salarial: R$ 2000

Técnico em plásticos (laboratório)

Realiza ensaios químicos e físicos em resinas, acompanha o processo produtivo, realiza o controle de qualidade aprovando/reprovando os produtos, inspeciona matérias-primas e controla/emite laudos de qualidade.

Média salarial: R$ 2100

Colorista

Desenvolve masterbatch de cor, corrige tonalidade de plásticos, interpreta dados colorimétricos em espectrofotômetro, cadastra fórmulas. Faz estimativa de consumo de pigmentos e outros aditivos, separa amostras, opera extrusora para produção de masterbatch e injetora para produção de plaquetas para análise visual de cor.

Média salarial: R$ 2200

Engenheiro de produção de plásticos

Estuda causas e soluções para processo de injeção, acompanha o desenvolvimento de projetos de redução de custos, cria instruções de trabalho e procedimentos para execução de processos, acompanha e treina operários para máquinas/processos novos, faz análise e desenvolvimento de melhorias para o processo de injeção, busca novos fornecedores, desenvolve novas máquinas para o processo produtivo, faz validação de novos moldes e processos com estudo de capatibilidade.

Média salarial: R$ > 5000

 

E além da indústria, também há espaço para o formador de novos profissionais:

Instrutor técnico em plásticos

Leciona sobre processos de produção de peças plásticas, regulagem de máquina, defeitos e soluções em injeção e sobre os diferentes tipos de resinas, lidera grupos com dinamismo e didática.

Média salarial: R$ 2329

Esses são apenas alguns exemplos dentre tantas outras profissões que poderá seguir no mundo do plástico... Espero que tenha ajudado em algo, e até o próximo artigo!

 

 
   
   
 
 

Veja também:

Degradação de polímeros
Calandragem
Rotomoldagem
Aditivos BASF e PolyAd
Microesferas de vidro
Lubrificantes para plásticos
Insertos para moldes

Ainda não encontrou o que procurava? Dê uma olhada no nosso fórum!

Artigo postado em 12/01/2014

Sobre o autor:
Daniel Tietz Roda é Tecnólogo em Produção de Plásticos formado pela FATEC/ZL e Técnico em Projetos de Mecânica pela ETEC Aprígio Gonzaga. Trabalha na área de assistência técnica e desenvolvimento de plásticos desde 2008 e atualmente coordena o depto. técnico da Ambiental Recicladora.

   
   

© 2010-2017 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.

Página inicial - Política de privacidade - Contato