ENTRADAS EM MOLDES PARA PLÁSTICOS

O que é uma entrada?

Canais de um molde
Entrada é uma pequena área entre o canal de distribuição e a cavidade da peça, e é ela que controla o fluxo do plástico fundido para dentro do molde e o empacotamento do material. O tipo, tamanho e localização de uma entrada em um molde de injeção são fatores críticos para se produzir peças com qualidade.

O tipo de entrada escolhido depende de vários fatores, que incluem principalmente:

- Tipo de material (polímero);
- Carga incorporada no material;
- Custo do ferramental;
- Tolerância à perdas (sucata gerada nas primeiras injeções); e
- Placas usadas no molde.

Recomendações para desenho de entrada em um projeto de molde

É preferível o uso de entradas restritivas pequenas, pois elas diminuem a probabilidade de marcas na peça além de facilitar o destacamento do galho. Uma única entrada por cavidade é o ideal a fim de que não ocorra o aparecimento de linhas de solda, entretanto, o tamanho da peça e o material utilizado podem requerer múltiplas entradas.

Recomenda-se que a entrada fique localizada numa parte mais discreta da peça, assim qualquer mancha ou marca de fluxo que possa aparecer nessa região fica fora da visão do usuário, entretanto deve-se observar que se a entrada estiver próxima do centro da peça o enchimento do molde com o plástico fundido será mais eficiente.

Se a peça possuir diferentes espessuras, a entrada deverá estar na parte mais grossa, pois nela a peça demora mais para solidificar e assim evita-se marcas de "chupado". Quanto ao tamanho, a espessura da entrada deverá ser de aproximadamente dois terços da espessura da parede.

Uma observação importante é que a área ao redor da entrada é também a de maior tensão na peça injetada, então ela não deve estar localizada em partes que vão estar sujeitas a impactos ou flexões.


Tipos de entrada

Existem oito tipos de entrada usados em moldes de injeção plástica, são eles:

Entrada restrita (circular ou retangular)

Entrada restrita
Entrada restrita
É o tipo mais comum de entrada, recomendado para moldagem de plásticos de fluxo fácil podendo ser circular ou retangular. Sua altura deve ter entre 50 e 100% da espessura da parede no ponto de injeção, e sua largura deve ser igual a 2,5 vezes a sua profundidade se for retangular ou igual a profundidade se for circular. A maior vantagem desse tipo de entrada é que ela funciona como uma válvula, impedindo o retorno do material fundido para os canais do molde após o preenchimento da cavidade. Esse tipo de entrada não é recomendado para materiais viscosos pois pode impedir o preenchimento total da peça, mas se ainda assim for o tipo escolhido, o uso da entrada na forma circular facilitará a injeção.

Cálculo de entrada restrita circular e retangular

Preencha os campos abaixo com os dados solicitados para calcular as dimensões da entrada.

Tipo de entrada 

Preencha apenas 1 dos campos:

Diâmetro do canal mm
Diâmetro da entrada mm
Profundidade da entrada mm

Limpar Calcular


Entrada em leque

Entrada em leque
A entrada em leque é usada principalmente para produção de peças de parede fina e área ampla, ou seja, peças achatadas como discos ou placas. Esse tipo minimiza o retorno de plástico fundido, promove uma melhoria no aspecto visual da peça e reduz as tensões assim como as imperfeições. A entrada em leque deixa uma marca na peça e geralmente requer o corte manual do galho.

A espessura dessa entrada deverá ser de no máximo 50% da espessura da peça (recomenda-se começar com 1/3 da espessura da peça), já a largura vai depender de fatores como o tamanho da cavidade e da forma como o material flui nela.

Continue lendo esse artigo:

 Próxima Página 



Bibliografia:
HARPER, Charles A.; PETRIE, Edward M. Plastics Materials and Process: A Concise Encyclopedia. Hoboken: John Wiley & Sons, Inc., 2003.
CANEVAROLO JR., Sebastião V. Ciência dos Polímeros: Um texto básico para tecnólogos e engenheiros. 2.ed. São Paulo: Artliber Editora, 2002.
WIEBECK, Hélio; HARADA, Júlio. Plásticos de Engenharia: Tecnologia e Aplicações. São Paulo: Artliber Editora, 2005.

Artigo postado em 15/11/2013
Sobre o autor: Daniel Tietz Roda é Tecnólogo em Produção de Plásticos formado pela FATEC/ZL e Técnico em Projetos de Mecânica pela ETEC Aprígio Gonzaga. Trabalhou na área de assistência técnica e desenvolvimento de plásticos de 2008 até 2013 e atualmente é proprietário do Tudo sobre Plásticos.
© 2010-2017 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.
Página inicial - Política de privacidade - Contato


TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar