Leiria celebra a entrada do plástico em sua vida

O museu da cidade pretende contar a história dos seus habitantes através de um dos mais antigos materias sintéticos: o plástico

08/11/2017


Se algum leiriense tiver um telefone antigo pode partilhá-lo com o museu

Desde 1930 que a economia do concelho de Leiria depende de indústrias como a de moldes e transformação de plásticos e por isso, o Museu de Leiria lançou um apelo à população, convidando-a a ajudar na construção de uma nova exposição.


“Os vossos plásticos podem ser importantes! Partilhe connosco e com Leiria os brinquedos de infância, sua, dos pais e avós, os artefactos do vosso quotidiano, os objectos de devoção, rádios, telefones, talheres, caixas, móveis, sapatos, candeeiros, chávenas...” lê-se no comunicado lançado pelo Museu.

O pedido peculiar tem como objectivo final a construção de uma exposição sobre a História dos Plásticos, alicerçando-se na história da ciência e da tecnologia e de cultura material. Segundo uma fonte oficial do Museu de Leiria, a construção da exposição pretende realçar a necessidade de preservar os objectos de plástico, bem como a importância do plástico na evolução do design industrial, na estratégia das empresas e na vida quotidiana.

O material chegado a Portugal em 1930, pela forma de baquelite, é normalmente considerado pelo público como pouco dispendioso e de fácil acesso o que, adicionalmente a ser um polímero sintético construído pelo homem, o leva a ser subestimado na comunidade científica.

Foi isto que motivou o projecto “O Triunfo da Baquelite: Contributos para uma História dos Plásticos em Portugal”, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) a juntar-se ao Museu, numa tentativa de obter materiais para uma investigação completa e com algum retorno cultural para a população. O projecto está a ser desenvolvido numa parceria entre cidades, já que o mesmo é albergado pelo Centro Interuniversitário de História das Ciência e Tecnologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, (CIUHCT/FCUL).

Esta investigação tem como ponto de partida a Baquelite Liz, empresa sediada na região de Leiria desde 1940 e por isso prevê que a cidade seja um excelente recipiente desta iniciativa.

Com vista a reflectir sobre a relação dos homens com o material, o Museu de Leiria invoca o espírito inovador de cada um dos seus habitantes pedindo o seu contributo na construção da história da região por meio de objectos perdidos “nos caixotes guardados na cave, nos armários fechados há décadas e nas caixas esquecidas no sótão e cobertas de pó”.

São pedidas fotografias das peças, uma breve descrição e história das mesmas, para o endereço do Museu de Leiria (museudeleiria@cm-leiria.pt) para que posteriormente seja analisado o interesse das mesmas e se formalize um pedido ou depósito temporário para a doação.

A recolha deve terminar no último trimestre de 2018 para que a exposição abra no primeiro trimestre de 2019.

Fonte: Público PT (17/10/2017)




Duas empresas da Marinha Grande vendem totalidade das participações à Atena Equity Partners

Os sócios de duas empresas da Marinha Grande venderam a totalidade das participações à Atena Equity Partners, sociedade gestora portuguesa de "private equity", anunciou o administrador maioritário, António Ventura.

16/11/2017




As empresas do Grupo E&T - Engineering and Tooling: AFR Moldes e E&T Plastics, da Marinha Grande, no distrito de Leiria, foram adquiridas pela Atena Equity Partners, disse em outubro António Ventura.


"No dia 16 de outubro, vamos formalizar a venda com a assinatura as escrituras. O objetivo da Atena é adquirir mais empresas de moldes para criar um grupo grande para a fabricação de moldes e plásticos da Península Ibérica", disse à Lusa o administrador da AFR Moldes e E&T Plastics, que tem uma participação de 70% nestas empresas.

António Ventura, que recusou revelar o valor da aquisição, salientou que o interesse pelas empresas surgiu porque a "indústria de moldes da Marinha Grande usa tecnologia de ponta".

"É uma tecnologia que tem uma quota de mercado muito grande na Europa e é muito rentável, pelo que surgem investidores", sublinhou.

O administrador adiantou que as empresas têm mais dois sócios - António Mendes e Pedro Sousa - que venderam também a sua parte.

"Está ainda a ser negociada uma terceira empresa da Marinha Grande, que também poderá ser adquirida na segunda-feira pela Atena", adiantou António Ventura.

Segundo o mesmo responsável, este grupo financeiro está a analisar outras dez empresas, que também poderão ser compradas para integrar a 'holding'. Além de empresas na Marinha Grande, há também outras em Oliveira de Azeméis que estão a ser equacionadas.

"O grupo procura empresas financeiramente estáveis e líderes de mercado", afirmou António Ventura, acrescentando que a Atena já investiu na SBW, produtor ibérico de lingote e barra de latão, na Simi, fornecedor de serviços especializados de engenharia que requeiram montagens de estruturas metálicas de elevada complexidade, e na Prado Cartolinas da Lousã.

"Agora estão a apostar na indústria dos moldes e dos plásticos", finalizou.

António Ventura, António Mendes e Pedro Sousa vão manter-se nas empresas "por tempo indeterminado".

Fonte: adaptado de Diário de Notícias (13/10/2017)


© 2010-2017 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.
Página inicial - Política de privacidade - Contato


TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar