Em Londres o asfalto é feito de plástico reciclado

21/03/2018



O asfalto das estradas de Londres ficam cada vez mais verdes. No distrito de Enfield chega um produto revolucionário, feito de materiais plásticos retirados do lixo. Enfield é portanto, o primeira distrito de Londres a usar este mix de resíduos plásticos, desenvolvida pela empresa MacRebur.


MacRebur há muito que vem trabalhando na criação de superfícies rodoviárias feitas de resíduos plásticos. Uma faixa da Green Dragon Lane, a trafegada rota de ônibus, fora coberta por este mix especial tendo recebido financiamento da Transport for London para tornar esta área mais verde.

"É uma mistura de polímeros cuidadosamente selecionados, projetados para melhorar a resistência e a durabilidade do asfalto, reduzindo a quantidade de betume necessário na mistura. Eles são fabricados com 100% resíduos. Os produtos oferecem uma maneira única de melhorar o asfalto oferecendo uma solução econômica e duradoura", explica MacRebur.

Este local foi escolhido como teste precisamente porque é uma estrada bastante trafegada, onde três linhas de ônibus e outros veículos transitam frequentemente.

Daniel Anderson, membro do Conselho Ambiental de Enfield, disse: "Todos sabemos que os plásticos podem ter um impacto devastador sobre o meio ambiente, particularmente quando o produto atinge nossos mares e oceanos. Somos todos responsáveis ​​por intensificar nossos esforços para ajudar o meio ambiente, reciclando mais e usando materiais de proveniência responsável".

Fonte: Green Me (20/03/2018)




Transformadores de plástico geram emprego

04/04/2018


Estado concentra cerca de 1,3 mil empresas do setor, afirma Deitos


No primeiro bimestre deste ano, foram abertas 4.136 novas vagas de trabalho no setor de transformados plásticos no Brasil, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria do Plástico. Desse total, o Rio Grande do Sul foi o terceiro estado que mais gerou empregos nessa área (813), superado apenas por São Paulo (1.346) e Santa Catarina (1.241).
No Brasil, o segmento conta hoje com um estoque de cerca de 314,6 mil postos de trabalho. O presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS), Edilson Deitos, informa que o Estado concentra aproximadamente 1,3 mil empresas que atuam no setor de transformação de plástico, e que geram em torno de 30 mil empregos diretos.

Apesar do cenário positivo quanto à geração de trabalho, um ponto negativo lamentado por Deitos são os elevados aumentos das tarifas de energia (já confirmados e na perspectiva de serem concretizados). No final do ano passado, foi aprovado o reajuste de efeito médio de 30,62% para as contas de luz da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D). Em 2018, para a RGE Sul, a proposta de revisão tarifária sugerida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prevê o efeito médio do incremento na tarifa de 25,34%. Já para a RGE o percentual discutido é da ordem de 19,50%. Os índices de correção dessas duas concessionárias ainda precisam ser homologados e deverão vigorar em 19 de abril, para a RGE Sul, e 19 de junho, para a RGE.

"Infelizmente, nós, consumidores, continuamos pagando a conta de políticas energéticas do passado que foram desastrosas", frisa o presidente do Sinplast-RS. O empresário comenta que uma estratégia que vem sendo adotada pelas companhias do setor do plástico para atenuar os impactos é a substituição de maquinários antigos por equipamentos que apresentam menor consumo de eletricidade. Outra ação que já foi tomada por muitos grupos foi a migração para o mercado livre de energia (formado por grandes consumidores que podem escolher de quem vão adquirir a eletricidade).

Deitos informa que a energia é o terceiro maior custo das transformadoras de plástico, atrás somente da matéria-prima petroquímica e da mão de obra. O dirigente acrescenta que, desde dezembro, houve variações de preços nas matérias-primas, que também estão afetando o setor. O empresário participou, na noite de ontem, no Palácio Piratini, de homenagem ao governador José Ivo Sartori, que recebeu o Prêmio Sinplast Attilio Bilibio, em virtude do apoio do político às causas da cadeia do plástico.



Fonte: Jornal do Comércio (04/04/2018)


© 2010-2018 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.
Página inicial - Política de privacidade - Contato


TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar