Como o plástico pode ajudar na economia de água e preservar o meio ambiente

08/10/2019



Em 2015, muitos moradores do estado americano da Califórnia ficaram surpresos quando descobriram que 96 milhões de pequenas bolas de plástico na cor preta estavam sendo despejadas no principal reservatório de água de Los Angeles.

Embora isso possa soar como uma tentativa bizarra de quebra de recorde mundial ou uma produção de cena para algum filme, essas bolas de plástico que agora fazem parte do reservatório desempenham uma tarefa muito mais importante.

Ficou curioso para saber por que esses itens esféricos foram adicionados à água? Então, vamos analisar essa questão mais a fundo!


O que são essas bolas?

Em termos básicos, as chamadas shade balls (“bolas de sombra” em português) não são nada mais do que pequenas esferas escuras feitas de plástico. Parcialmente cheias de água, elas são capazes de flutuar na superfície de corpos d’água, como reservatórios e lagos. Inicialmente conhecidas como “bird balls”, essas bolas tinham como objetivo principal impedir que aves pousassem em lagoas ou lagos intoxicados por operações industriais, principalmente no ramo da mineração. No entanto, essas pequenas bolas de plástico logo passaram a ser usadas por várias outras razões, como explicaremos a seguir.

Em termos mais técnicos, as bolas de sombra são feitas de polietileno de alta densidade (PEAD), que é o principal material usado para produzir garrafas e outros produtos plásticos de uso doméstico. Cada bola tem cerca de 10 centímetros de diâmetro e tem um peso que varia entre 240 a 260 gramas.

Durante o seu processo de fabricação, um conjunto de pigmentos de cor escura são adicionados a estas bolas, conferindo-lhes uma cor preta que serve para protegê-las das radiações ultravioletas do sol. O custo dessas esferas de plástico gira em torno de 36 centavos de dólar cada, mas espera-se que a sua utilização produza uma surpreendente economia de US$ 250 milhões para o Departamento de Água de Los Angeles.

Qual é o propósito da utilização das bolas de sombra?

Entre os seus diversos usos ambientais, a razão principal pela qual as bolas de sombra estão sendo usadas em Los Angeles tem a ver com o processo de retardar a evaporação da água. Embora estejam disponíveis em várias cores, as bolas de sombra na cor preta são as mais escolhidas, pois absorvem a luz do sol que incide sobre elas (já que o preto é um excelente absorvedor de luz), retardando assim a evaporação da água em uma quantidade considerável.

Além de promover a redução dos níveis de evaporação, essas bolas também ajudam a impedir o crescimento de algas nos reservatórios e a diminuir os riscos de contaminação da água. Mas por incrível que pareça, estas bolas também podem ser usadas para evitar acidentes envolvendo aves e aeronaves em regiões aeroportuárias.

Vale destacar que muitos aeroportos contam com algum tipo de lagoa de drenagem ou uma bacia de retenção, que é basicamente um pequeno lago artificial com alguma vegetação e uma poça permanente de água. Basicamente, o excesso de água das chuvas em todo o aeroporto é direcionado para essa bacia, evitando o alagamento das pistas e a erosão. No entanto, essas lagoas também atraem pássaros e outros animais no ar, os quais apresentam riscos de colisão com as aeronaves.

É aqui que as bolas de sombra entram em ação, já que elas cobrem a superfície dessas lagoas, impedindo que as aves pairem e arrisquem as suas vidas, assim como a segurança e integridade dos aviões.

Mas por que essas bolas estão sendo usadas de forma massiva em Los Angeles?

Bem, se você já conseguiu ligar os pontos, provavelmente já deve estar pensando que o propósito de liberar essa enorme quantidade de bolas no reservatório de Los Angeles gira em torno de proteger a água dos raios de sol da Califórnia, consequentemente reduzindo a sua perda por conta da rápida evaporação. Se você pensou dessa forma, parabéns! Mas ainda assim, há outras questões envolvendo tudo isso.

Primeiramente, é importante deixar claro que esse reservatório é a principal fonte de água potável para os cidadãos de Los Angeles e das regiões vizinhas. No entanto, o grande problema é que a água que entra neste reservatório contém brometo. O brometo (Br) é um mineral completamente seguro e bastante comum em água salgada, de modo que é quase impossível separá-lo inteiramente da água devido ao seu tamanho pequeno. No entanto, quando esse íon entra em contato com os raios do sol, ele sofre uma reação química que leva à formação de bromato (BrO3), que é cancerígeno, ou seja, pode causar câncer.

Esta reação pode ser desencadeada ainda mais facilmente através da presença de cloro na água, que também é completamente inofensivo para os seres humanos, mas necessário para desinfetar a água de qualquer tipo de bactéria ou outras doenças. Dos três reagentes que causam essa reação indesejada, as autoridades descobriram que a remoção da luz solar é a opção mais viável e eficaz. Assim, as bolas de sombra entraram em cena como grandes auxiliadoras nessa tarefa.

Mas será que essas bolas estão realmente cumprindo as suas funções?

Uma equipe de pesquisadores de Londres, juntamente com seus colegas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), divulgou recentemente algumas descobertas sobre esse assunto. Segundo eles, as descobertas não foram tão animadoras, já que eles acreditam que as bolas de sombra podem usar mais água durante sua produção do que elas economizam. Com base em vários estudos, as bolas podem levar até 3 anos para "pagar com economia" a quantidade de água usada na produção.

Na prática, isso não significa que é parecido desencorajar o uso dessas bolas, mas serve para salientar que sua utilidade pode não ser tão viável em todos os lugares do mundo. Além disso, não podemos esquecer que este tipo de trabalho não é uma solução permanente. Uma vez que estas bolas têm um certo tempo de vida, elas consequentemente terão de ser substituídas por novas bolas, o que exigirá novamente uma enorme quantidade de água durante o seu processo de produção.

Fonte: adaptado de Tri Curioso (27/07/2019)




3M reinventa plástico bolha e promete economizar espaço com nova embalagem

09/10/2019



Apesar de ser nada prático, muitas lojas online enviam pequenos itens em caixas enormes. É um desperdício que reduz a quantidade de carga que um caminhão pode levar, por exemplo. O problema inspirou a 3M a redesenhar o plástico bolha para reduzir a embalagem necessária para enviar itens menores.


Envelopes plásticos forrados com plástico bolha são boas alternativas para itens pequenos, em vez de caixas de papelão. Mesmo assim, eles estão disponíveis em tamanhos limitados e muitas vezes exigem estofamento ou enchimento adicional para que os objetos colocados no interior não se movimentem enquanto são transportados.

A 3M criou uma alternativa melhor com o Flex & Seal Shipping Rolls (embalagens de envio flexíveis e autosselantes, em tradução livre).

O material é como um envelope de envio acolchoado que vem desmontado. O remetente precisa embalar o seu produto, o que permite criar envelopes acolchoados personalizados que sejam do tamanho ideal. E, além de eliminar o papelão, os flocos de isopor e os sacos infláveis que são enviados com muitos itens, ele também não exige que você se enrole com fita adesiva.

O material é composto por três camadas, incluindo um invólucro exterior difícil de rasgar que é resistente à água, uma camada central com forro de plástico bolha e um revestimento adesivo que se cola somente em si mesmo. Ao embrulhar um objeto é possível criar uma vedação para que não haja risco de que ele escorregue.



O material não resolve as preocupações ambientais. Os plásticos usados são recicláveis (feitos do mesmo material de sacolas de mercado), mas precisam ser processados separadamente dos materiais que a maioria das casas e escritórios recicla diariamente, como garrafas pet.

Portanto, há um inconveniente adicional para as pessoas que querem fazer o descarte de forma responsável. A 3M também recomenda que o material seja usado apenas para enviar objetos que não sejam mais pesados que 1,3 quilo. Isso limita o uso, mas a empresa afirma que 60% dos produtos enviados pesam menos do que isso.

O Flex & Seal não substitui caixas de papelão quando é preciso transportar objetos frágeis, que não podem ser apertados ou dobrados, por exemplo. E se você não se sente seguro ao mandar itens envoltos no plástico bolha, a solução da 3M não ajudará muito também, já que são soluções bem similares. A grande vantagem é a praticidade e o espaço que ele economiza.

Fonte: Gizmodo (31/07/2019)


© 2010-2019 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.
Página inicial - Política de privacidade - Contato


TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar