TSP Messenger Minimizar  Aumentar
Para usar faça LOGIN ou CADASTRE-SE
Digite aqui: Enviar

O USO DA FIBRA DE VIDRO COMO REFORÇO EM TERMOPLÁSTICOS

 

Os plásticos podem ser usados em seu “estado puro” para injeção de utilidades domésticas como "tupperware", talheres, carcaças de eletrodomésticos como liquidificadores, impressoras, aparelhos de DVD e etc. Mas quando aplicamos um determinado tipo de plástico em produtos que requeiram uma maior resistência mecânica como peças para construção civil, indústria automobilística ou qualquer outra que esteja substituindo uma peça de metal, surge a necessidade da incorporação de reforços na massa polimérica.

Fibra de Vidro

Devido a seu custo-benefício e sua disponibilidade no mercado, a fibra de vidro é o reforço mais difundido para aplicação em plásticos. Sua aplicação a 40% em uma poliamida, por exemplo, aumenta em 2,5 vezes sua resistência ao impacto Izod (ver nota importante abaixo) e à tensão, além de aumentar em 4 vezes seu módulo de flexão quando comparado com uma poliamida lisa. Logicamente esses valores podem sofrer alterações de acordo com o tipo de material, mas a resistência mecânica a flexão sempre é melhorada com a adição desse reforço, além da dureza e estabilidade do fundido e  dimensional do produto.

Quais as desvantagens da fibra de vidro?

A maior de todas as desvantagens e objeto da maior parte da reclamação dos transformadores é o comprometimento do aspecto visual, já que a fibra deixa a peça meio que “texturizada” e pode aflorar na peça deixando marcas esbranquiçadas.

Peça de nylon reforçada com fibra de vidro

Outro grande problema que ocorre principalmente nas poliamidas carregadas é a propagação de trincas em peças com insertos, pois as PA’s necessitam de hidratação após a injeção para que recuperem sua flexibilidade, mas essa hidratação pode ocasionar a soltura dos insertos fazendo com que os transformadores reduzam o tempo desse processo, resultando em um material rígido demais e consequentemente quebradiço. Por isso deve ser feito um estudo do material a ser utilizado e da porcentagem de fibra de vidro quando se trabalha com poliamidas.

Materiais em que é mais comum a incorporação de fibra de vidro

Não é todo plástico que aceita bem a fibra, assim como não é todo plástico carregado que encontra aplicações no mercado. A tabela abaixo mostra quais materiais usam com mais freqüência o reforço.

FREQUÊNCIA DO USO DE FIBRA DE VIDRO EM TERMOPLÁSTICOS

Material

Uso
PE +
PP ++
PS +
ABS ++
POM ++
PBT +++
PC ++
PA 6 e 6.6 +++
+ uso raro
++ uso em casos específicos
+++ uso comum
 

Nota: esse aumento de resistência ao impacto citado no texto foi retirado de um documento técnico da Rhodia, o qual infelizmente não encontro mais depois da incorporação da Rhodia pela Solvay. De qualquer forma, o que se observa na prática é uma queda na resistência ao impacto na grande maioria (senão todos) dos materiais carregados com fibra de vidro, inclusive uma queda expressiva, mesmo porque o material fica mais rígido.

   
   
 
 

Veja também:

Processos de transformação de termoplásticos
Elastômeros
Polietileno - PE
Termoplásticos e termofixos
Assuntos técnicos em geral
Ainda não encontrou o que procurava? Dê uma olhada no nosso fórum!

Artigo revisado em 30/07/2013

Sobre o autor:
Daniel Tietz Roda é Tecnólogo em Produção de Plásticos formado pela FATEC/ZL e Técnico em Projetos de Mecânica pela ETEC Aprígio Gonzaga. Trabalha na área de assistência técnica e desenvolvimento de plásticos desde 2008 e atualmente coordena o depto. técnico da Ambiental Recicladora.

   
   
© 2010-2017 - Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados.
Página inicial - Política de privacidade - Contato